segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Mais sobre o Windows 7
(e sobre o Windows Vista)

Ainda é muito cedo para ficarmos entusiasmados sobre o sucessor do Windows Vista, que se deverá chamar Windows 7.

O que não significa que não se possa ir apanhando o comboio quando ele ainda mal saiu da estação. Foi o que sucedeu com este meu post. Agora encontrei um outro, bastante interessante, e que se prende com a alegada alteração da estrutura da equipa de desenvolvimento.

Vale a pena ler. Está aqui.

Entretanto, ainda sobre o Windows Vista... Ao longo dos anos, a Microsoft foi das empresas mais acusadas de lançar FUD (outra foi a Intel) em seu benefício. Mas a verdade é que agora é a Microsoft que está a ser vítima de uma campanha anti-Windows Vista claramente baseada em FUD. Se é dos que tem um PC com Vista e não está totalmente satisfeito ou se é dos que tem XP e pensa que é esse o melhor OS da Microsoft (dica: pense outra vez...), este artigo é excelente.

Quanto a mim, para que não restem dúvidas, sou um fã do Vista. Não acho que seja tão melhor do que o Windows XP para levar toda a gente a fazer uma actualização imediata, especialmente os que têm máquinas mais antigas; contudo, acho que é suficientemente bom. E certamente bem melhor do que o XP, pelo que não percebo a idiotice de fazer downgrade para XP em máquinas pré-equipadas com o Vista. Mas provavelmente sou só eu (not...)!


Vá lá, agora a sério... Esta é uma história verídica:

A minha amiga Ana Sofia, que é designer gráfica, decidiu comprar um notebook para poder trabalhar mesmo fora de casa. Deu-me o orçamento disponível, disse-me que queria comprar na FNAC (tem cartão de cliente, descontos, aquela coisas todas) e eu acabei por lhe sugerir duas ou três máquinas possíveis. Ela acabou por se decidir por um Toshiba (depois de uma conversa com o vendedor que, quando soube que era designer gráfica, lhe tentou impingir um Macintosh; ela teve de lhe fazer um desenho...).

A máquina era (é) excelente. Com 3 GB de RAM, disco de grandes dimensões e muito rápido (com memória Flash interna, que o Vista aproveita para acelerar o acesso) e tudo-e-mais-alguma-coisa. Tudo por cerca de 1500 euros, pelo que me lembro. Excelente negócio, portanto.

Diz-me a Ana: "António, depois tens de cá vir a casa para me instalares os programas de que eu preciso e tirares o Windows Vista, que eu quero o XP". A sério, Ana? Então porquê? "Porque uns amigos meus já me disseram que aquilo é uma treta".

Não respondi. Disse-lhe que sim, que depois se veria. Entretanto, passaram-se umas semanas até ir a casa da minha amiga. Quando lá cheguei, a primeira coisa que ela me disse foi "é pá, afinal deixa lá estar o Vista que aquilo é muito porreiro!". Ah é? O que te fez mudar de ideias? "Olha, como não vieste cá logo, entretanto comecei a usar e gostei bastante".

É claro que cada caso é um caso e que a minha história vale o que vale, mas depois ainda dizem que isto é só marketing e que não corresponde à realidade...

Sem comentários: