quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Google contra IE? Não: contra Firefox!

Já descarreguei e instalei (numa máquina virtual...) o novo browser do Google, Chrome. Ainda é cedo para blogar sobre o assunto (mas se quer saber mais, pode ir por aqui), mas há para já uma coisa que me faz confusão: a ideia generalizada na Web (não vale a pena postar links, uma busca rápida num motor de busca provará o que estou a dizer) de que o Chrome é algo "anti-Microsoft" é algo que me põe estupefacto.

É que o Chrome - ou qualquer outro browser que não venha incluído de raiz no Windows - NUNCA será anti-Microsoft. No actual contexto, em que o browser da Microsoft tem uma quota de mercado global da ordem dos 75% (embora nos queiram fazer crer que é inferior, que ninguém usa o IE...), o prejudicado nunca será o IE (OK, marginalmente sim, mas não de forma significativa) mas sim o Firefox.

Quanto a mim, a razão é simples: a maioria das pessoas (os tais 2/3) não quer saber de browsers. Usa o que vem com o Windows e já está. Os que se interessam, são os que foram buscar o Firefox - e fizeram isto ao longo dos últimos anos. Ora são exactamente os utilizadores do Firefox os que estão mais despertos para a ideia de um browser alternativo, e não os utilizadores do IE.

É muito difícil perceber isto? Ou sou eu que não estou a ver bem o filme...?

Sem comentários: