terça-feira, 21 de outubro de 2008

Ciência, tecnologia, dólares e guerra

Estava este domingo a ver o 60 Minutos na SIC Notícias quando deparei com uma peça sobre o LHC, a maior máquina jamais construída pelo Homem.

Aparentemente, a pergunta mais importante que o jornalista tinha para colocar era a de saber se 6.000 milhões de dólares "valia a pena" e "para que servia afinal" tudo aquilo. A insistência foi grande, ao longo do segmento. Pelos vistos, se todos aqueles dólares não puderem ser traduzidos em alguma coisa que se veja (tipo, não sei quantos hamburguers do McDonald's ou milhões de copos de café da Starbucks), então é dinheiro mal empregue.

Bem, para começo de conversa, não foram 6.000 milhões de dólares, mas sim 4.391 milhões, ao câmbio actual (ver http://www.lhc.ac.uk/about-the-lhc/faqs.html), que é como quem diz, 2.600 milhões de libras estrelinas ou 3.353 milhões de euros. Mas claro que para quem nunca ganhou o euromilhões, continua a ser, dito em bom português, uma pipa de massa.

Contudo, e como eu acho redundante explicar para que serve o LHC (resposta rápida: serve para a Humanidade saber mais sobre si mesma - chega?), talvez fosse melhor o jornalista do 60 Minutos perguntar PARA QUE SERVEM E PORQUE FORAM GASTOS NA GUERRA DO IRAQUE MAIS DE 500 MIL MILHÕES DE DÓLARES. E isto, apenas até Agosto passado, segundo esta notícia. Porque segundo esta outra, o valor poderá ultrapassar 1 BILIÃO DE DÓLARES - mas "1 bilião" entendido correctamente e em português, isto é, UM MILHÃO DE MILHÕES DE DÓLARES.

De repente, o LHC parece-me demasiado barato - mesmo que não faça absolutamente nada.

Sem comentários: