quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

O melhor freeware do ano: a lista TechHoje

Pronto, rendo-me. Com tantas listas do que é melhor e pior e mais isto e mais aquilo, também resolvi fazer uma. Senhoras e senhores, meninos e meninas, eis a lista do “melhor freeware do ano” 2008 do TechHoje.

Todos os programas são usados regularmente por mim e todos são para Windows.  E todos eles correm na versão x64 do Vista, que é a que eu uso.

Nem todos são recentes, alguns são velhos favoritos meus, que por uma razão ou outra chegaram a esta lista – mas sobretudo porque não posso passar sem eles.

10. SyncToy 2.0

synctoy 2.0

As ferramentas de backup gratuitas abundam pela Web, mas é difícil bater a simplicidade, versatilidade e velocidade do SyncToy, que chegou à maioridade (versão 2.0) em 2008.

Melhor ainda, está disponível em versão de 32 e de 64 bits. Se ainda não o conhece, faça o download já, aqui.

9. NoteTab Light

Notetab

Outra categoria cheia de produtos é a dos substitutos do Notepad, o editor de texto simples do Windows. Foi a ferramenta que salvou a Casa do Bits de uma carga de trabalhos a formatar texto em HTML para o TEK.SAPO, há quase 10 anos, e continua a ser o meu editor de texto favorito. Há duas versões, uma paga e outra gratuita, mas a gratuita é suficientemente boa. Está aqui.

8. Auslogics DiskDefrag

Auslogics

A desfragmentação dos discos rígidos é essencial à manutenção do desempenho de qualquer PC. E se é verdade que o utilitário incluído no Windows Vista até corre automaticamente e tudo, não é menos verdade que continua a deixar muito ficheiro por desfragmentar. É aí que entra o DiskDefrag da Auslogics, cuja versão lançada no final de 2008 já pode ser agendada de forma a correr em segundo plano de forma automática. É um dos meus utilitários favoritos e pode ser obtido aqui.

7. CCleaner

ccleaner

Outro utilitário que faz parte da minha caixa de ferramentas habitual é o CCleaner, anteriormente conhecido por Crap Cleaner. Limpa tudo o que é ficheiro temporário e/ou desnecessário e tem também um módulo de optimização do Registry que em centenas de ocasiões NUNCA me causou problemas, ao contrário de outros similares. Altamente recomendado e disponível em português.

6. Bullzip PDF Printer

Bullzip

Há muitos criadores de PDFs gratuitos e eu devo tê-los experimentado todos, ou quase. E volto sempre ao Bullzip. É o mais simples, mais fiável e mais fácil de usar de todos eles. O programa instala-se como uma impressora virtual e permite que ao “imprimir-se” para ele, seja criado um PDF – o que significa que qualquer aplicação com suporte para impressão passa a poder gerar PDFs. Tem opções para criar PDFs de várias páginas e diferentes níveis de qualidade e compressão. Simplesmente brilhante. Disponível em português.

Menção honrosa: PDF X-Change Viewer

pdf xv

Outra ferramenta essencial para quem trabalha com PDFs é o PDF X-Change Viewer (também disponível em português).

A sua grande vantagem, além de ser uma alternativa ao Adobe Reader, é que permite editar PDFs, e não conheço qualquer outra ferramenta gratuita que o permita.

5. Avast! e AVG Anti-vírus

Avast

Não me consigo decidir, pelo que aqui ficam dois anti-virus gratuitos, o Avast! e o AVG: a prova de que só não está protegido quem não quer. Gosto de ambos e tenho ambos (mas não em simultâneo!) em diferentes máquinas minhas. Nas máquinas dos meus amigos tendo a instalar o AVG pois não tem qualquer chave de registo; o Avast! obriga a um registo que, sendo gratuito, é preciso renovar todos os anos. O Avast! tem a vantagem, para alguns, de estar em português. Além disso é mais completo do que o AVG em termos de protecção. São ambos gratuitos mas apenas para utilização pessoal.

4. Virtual Box

Vbox

Por causa dos meus livros, uso algumas máquinas virtuais para correr outros sistemas operativos na minha máquina. Não tenho grandes necessidades de desempenho e, até há pouco tempo, usava o Microsoft Virtual PC 2007. Este produto gratuito da Microsoft continua a ser a melhor aposta para quem pretende correr versões antigas do Windows, designadamente Windows 98 e 95, pois oferece um excelente desempenho para software mais antigo. Mas para versões mais recentes e outros sistemas operativos, designadamente Linux, a melhor aposta é o Virtual Box, da Sun. O desempenho com Windows Vista (em cima do meu Windows Vista x64) é muito boa e estou convencido que é apenas uma questão de tempo para que se consiga até correr a interface Aero. Uma das melhores surpresas do ano – e até está em português.

3. Nokia PC Suite

PC Suite

O Nokia PC Suite é, quanto a mim, o melhor argumento que existe para se comprar um telemóvel Nokia em vez de outro qualquer. Disponível gratuitamente e em português, actualizado regularmente e extremamente funcional e fácil de usar, este software aumenta substancialmente a funcionalidade de qualquer Nokia, nomeadamente os que têm conectividade USB e/ou Bluetooth. Utilizo-o sobretudo para sincronizar o meu N80ie com o Outlook (contactos e agenda), mas também para fazer backups regulares de toda a informação no PC. Imprescindível.

2. Paint.net

Paintnet

O Paint.net continua no topo das minhas preferências no que diz respeito a tratamento de imagem. Trata-se de uma espécie de Photoshop Light (também suporta “camadas”), muito fácil de usar mas bastante potente e versátil. Uso-o para praticamente todas as minhas necessidades de tratamento de imagem. Bónus: está em português.

Menção Honrosa: Picasa

picasa Não sou grande utilizador do Picasa, mas a minha mulher é. É ela que gere as fotos da família, incluindo o tratamento das imagens e a sua impressão e a ferramenta é, pura e simplesmente, imbatível, oferecendo um equilíbrio perfeito entre funcionalidade e facilidade de utilização. A versão 3, lançada no final de 2008, só veio cimentar o domínio deste programa gratuito em boa hora comprado pelo Google. Disponível em português.

 

1. Windows Live “Wave 3”

live w3

O pacote de aplicações Windows Live atingiu a maturidade com a chamada Wave 3, que inclui excelentes ferramentas entre as mais conhecidas, como o Live Messenger, até às novas, como é o caso do novo Movie Maker.

O pacote inclui também o Windows Live Writer, com o qual estou a escrever estas linhas. O novo Windows 7, a sair durante 2009, vai desde logo omitir uma série de aplicações de raiz e irá simplesmente incluir uma hiperligação para o download deste pacote – a ideia é a de que assim temos aplicações renovadas com uma periodicidade maior, sem ter de esperar por actualizações do sistema operativo. Aponte o browser para http://download.live.com/.

Menção Honrosa: IBM Lotus Symphony

documents_table_new

Com muito menos promoção do que o programa em que é baseado – o OpenOffice.org – o Lotus Symphony ocupa um lugar no meu coração.

Isto porque desde os tempos do MS DOS que sempre quis ter este programa, mas era demasiado caro para o que eu podia pagar.

Já na altura o conceito era de uma aplicação integrada com vários módulos – processador de texto, folha de cálculo, etc. – e isso continua. Face ao OpenOffice.org, tem a vantagem de ter uma interface mais amigável e mais perto do que as pessoas estão habituadas com o MS Office.

As primeiras versões estavam apenas disponíveis em inglês mas as mais recentes também já suportam português, pelo que me parece uma excelente alternativa grátis quer ao MS Office quer até ao OpenOffice.

Prémio Melhor Nova Tecnologia
disponível gratuitamente: Live Mesh

live mesh

O Live Mesh é, simplesmente, o futuro da computação. Trata-se de uma tecnologia que permite manter sincronizada a informação através de diferentes dispositivos sejam eles PCs, Macs ou até dispositivos móveis (com Windows Mobile).

O serviço encontra-se já disponível mais ainda está em beta. Inclui armazenamento gratuito na “nuvem” e o que se presume é que irá haver uma versão com subscrição paga, com mais funcionalidades e mais armazenamento, e uma gratuita, mais simples mas ainda assim, funcional.

Prémio Melhor Software Comercial:
Windows Home Server

WHS

O Windows Home Server (WHS) não surgiu sequer em 2008, mas em 2007. Mas foi só no ano passado que se tornou mainstream – bem, quase mainstream.

Não me canso de dizer isto: o WHS é o melhor sistema operativo jamais lançado pela Microsoft numa perspectiva de adequação à função. Faz tudo o que é suposto fazer, com um mínimo de esforço (muitas das coias que faz, fá-las automaticamente) e muito mais ainda através de add-ins, na sua maioria gratuitos.

A Microsoft não produz o hardware, claro, mas o software está disponível para quem pretenda criar o seu próprio servidor. É tão bom que até serve para micro-empresas com até 10 computadores, poupando centenas de euros face a soluções mais convencionais, como é o caso do Smal Business Server da própria MS. O software pode ser comprado por cerca de 100 euros em locais como a Amazon.

Servidores completos vendem-se por cerca de 500 euros, já completamente configurados.

= = =

E pronto. Esta é a minha lista. Deixo aqui o desafio: qual é o vosso software gratuito preferido? Quem colocariam nesta lista?

1 comentário:

Dvd Paradiso disse...

Grandes dicas... só faltou mesmo o GIMP!