sexta-feira, 10 de abril de 2009

Acer e Packard Bell com notebooks
com 10 horas de autonomia

A Acer chama-lhes Aspire Timeline e na Packard Bell – recentemente relançada e reposicionada pelo Grupo Acer – têm o nome de EasyNote Butterfly (na foto). Contudo, o resultado é o mesmo: novas gamas de computadores portáteis leves, finos e com preço acessível (abaixo dos 1000 euros) com autonomias que vão até às... 10 horas!

Para conseguir este feito, ainda por cima sem sacrificar as dimensões, o peso ou o preço, a Acer criou tecnologia própria e, em conjunto com processadores Intel ULV (Ultra Low Voltage) e diversas técnicas de redução de consumo, conseguiu o que parecia uma miragem distante: oferecer um dia de trabalho completo longe da tomada de corrente.

Consoante os modelos, temos direito a discos rígidos ou a drives SSD (até 8 horas de autonomia no primeiro caso e até 10 no segundo – mas a Acer diz estar já a trabalhar em tecnologia que permitirá conseguir 10 horas mesmo com discos rígidos) e até placas graficas 3D dedicadas.

Como é possível ter placas 3D dedicadas e grande autonomia lado-a-lado? Simples: nestes modelos, há na verdade dois subsistemas gráficos – um integrado (da Intel) na motherboard e outro dedicado (da ATi) – sendo possível desligar o subsistema gráfico 3D dedicado, sacrificando um pouco o desempenho gráfico, para aumentar a autonomia.

Quer os Acer Aspire Timeline, quer os Packard Bell EasyNote Butterfly chegam antes do Verão, com preços a anunciar.

1 comentário:

WEB honey disse...

1o horas? Realmente, excelente!!!