domingo, 3 de abril de 2011

SBS 2011 Essentials e as micro empresas

Há muito tempo que não estava tão entusiasmado com o lançamento de um sistema operativo como agora. E não, o motivo não é o novo MacOS ou o Windows 8 a despontar no horizonte - sobre ambos sei exactamente o mesmo, que é nada...
O meu entusiasmo vem de um produto de que a maioria dos consumidores nunca ouviu falar: o Small Business Server 2011 Essentials.
De alguma forma, eu e a minha empresa somos como que um caso de estudo perfeito para se perceber melhor o alcance e utilidade do novo SBS, porque comecei por usar o Windows Home Server (perfeito para backups a acesso remoto à informação, mas limitado a 10 postos de trabalho) e instalei, em meados do ano passado, um SBS 2008 (que oferece muito mais mas é também mais caro e, sobretudo, mais difícil de gerir).
Para quem não sabe, o Windows Small Business Server não é propriamente um sistema operativo mas sim uma "suite" integrada de aplicações da Microsoft para empresas que integra um sistema operativo servidor (Windows Server 2000, 2003, 2008, 2008 R2...) com uma série de outras aplicações e/ou funcionalidades (como é o caso de um servidor Exchange, para correio electrónico) e cujo mercado-alvo são as empresas de pequena dimensão - até 75 utilizadores.
Acontece que no caso da minha empresa, onde somos menos de 10 pessoas, a funcionalidade oferecida pelo Windows Home Server era menos do que pretendia (nomeadamente na forma de gerir o correio electrónico) mas, como eu vim a descobrir da pior forma, um SBS 2008 não é propriamente pêra doce, quer ao nível da configuração como, sobretudo, da gestão. Em resumo: o que eu precisava era mais do que um WHS mas menos do que um SBS tradicional.

Ora, com o SBS 2011 Essentials, a Microsoft parece que falou comigo antes de criar o produto (mas não falou...), pois é exactamente o que eu procurava, fundindo a funcionalidade do WHS com a do SBS (tanto assim é que o código base do novo WHS é o mesmo do novo SBS) e subindo o número de utilizadores face ao WHS de 10 para 25.
Mas há outro aspecto interessante: é que o SBS 2011 Essentials (essentials é a palavra-chave) não inclui nem o Exchange nem o SharePoint, cujas funcionalidades eu necessito e me levaram a instalar um SBS 2008 na empresa. E ausente estão também os serviços de update das máquinas da rede ligadas ao servidor (WSUS).
Assim sendo, qual a diferença entre o WHS e o novo SBS 2011 Essentials, para além do número de postos de trabalho suportados? A diferença é a integração do SBS 2011 Essentials com os serviços na nuvem da Microsoft que providenciam a funcionalidade normalmente suportada pelo SBS numa máquina local. Para o Exchange e o SharePoint (e mais algumas coisas interessantes), a Microsoft tem o BPOS, que ainda em 2011 será actualizada para o Office 365. E para substituir o WSUS, a Microsoft oferece (enfim, vende...) um serviço baseado na nuvem chamado InTune.

A diferença entre a abordagem 100% local (on premise) face a esta abordagem híbrida, em que parte da funcionalidade é suportada num servidor local (backups, partilhas, serviços de impressão, etc.) e outra parte na nuvem (tudo o resto) é o que se ganha em termos de poupança de custos de investimento inicial e de administração.
O custo inicial é menor porque o SBS 2011 Essentials tem requisitos de hardware muito baixos, em nada comparáveis com a versão normal e, além disso, tem um licenciamento menos oneroso - o preço inicial é também mais baixo e inclui já as 25 licenças de cliente enquanto o custo da versão SBS 2011 normal é não apenas mais elevada como requer depois a aquisição de licenças de cliente adicionais.
Mas a verdadeira poupança é na gestão. Como eu descobri à minha custa, é possível a alguém (eu) como alguns conhecimentos técnicos gerir um SBS - mas ser possível é uma coisa; ser desejável é outra. Ou seja, o ideal é contratar alguém (pessoa ou empresa) que o faça por si. O que custa dinheiro, claro.
Comparativamente, a gestão do SBS 2011 Essentials é uma brincadeira de crianças, ao alcance de praticamente qualquer pessoa. E o mesmo acontece com a gestão dos serviços adicionais online.

Para pequena empresas até 25 postos de trabalho - que constituem mais de 50% do tecido empresarial português - o SBS 2011 Essentials conjugado com uma selecção de serviços online, constitui uma solução poderosa e flexível para a qual é difícil encontrar uma alternativa.
E, posso garantir com conhecimento de causa, este é um investimento em tecnologia que se paga a si mesmo em muito pouco tempo.

Update: uma versão de avaliação do SBS 2011 Essentials (90 dias sem limitações de funcionalidade) pode ser obtida aqui.

2 comentários:

Magno disse...

E porque não simplesmentes instalar o WSUS e o SharePoint Foundation no Windows Home Server 2011?

AEM disse...

Sim, é possível, mas o WHS está mais limitado em número de clientes. E tendo já usado o SPF no SBS2008, é um grande alívio ter a mesma funcionalidde online! :-)