quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Quando o Vista é mais compatível que o XP

Vistax64

Confesso que devia ter feito isto há mais tempo, mas só recentemente ganhei coragem, muito devido a receios que se vieram a provar infundados: refiro-me à utilização da versão de 64 bits do Windows Vista.

Há vários mitos que rodeiam as versões de 64 bits do Windows (não necessariamente apenas do Vista) e que de alguma forma têm travado a sua utilização mais generalizada. E vale a pena falar de alguns deles:

  • É preciso um computador especial/mais caro para se poder usar uma versão de 64 bits do Windows. Errado. Desde há pelo menos dois anos que praticamente todos os computadores usam processadores com suporte para 64 bits, quer da AMD, quer da Intel, pelo que não há qualquer investimento adicional a realizar.
  • Muitos programas de 32 bits não funcionam no Windows de 64 bits. Errado. Até agora não encontrei nenhum programa de 32 bits que não funcione na versão de 64 bits do Windows Vista (e o mesmo pode ser dito da versão de 64 bits do Windows XP). Desde o Microsoft Office até freeware e software OpenSource, o Vista x64 ainda não recusou nada… Contudo, há uma importante excepção: se usa ainda velhos programas de 16 bits, estes não funcionam no Vista x64. Outra execepção: há plug-ins importantes para Internet Explorer e Firefox, como o Adobe Flash, por exemplo, que não existem (ainda) em versão 64 bits e o mesmo acontece com alguns codecs para Windows Media Player. Mas como o Windows Vista x64 inclui versões de 32 e de 64 bits do IE7 e do WMP, isto acaba por não ser um problema.
  • Há muito menos drivers de 64 bits do que de 32 bits. Certo. Este é o aspecto mais crítico na utilização das versões de 64 bits do Windows. O número de drivers de 64 bits disponíveis é muito menor do que de 32 bits, pelo que deverá ter cuidado redobrado ao certificar-se de que existem versões de 64 bits dos drivers que precisa para o seu PC e respectivos periféricos.
  • O Windows Vista de 64 bits é mais caro do que o de 32 bits. Errado. Não só custa o mesmo como, se adquiriu uma cópia de Windows Vista Ultimate no retalho, a caixa inclui já discos com ambas as versões – 32 e 64 bits. Se tem um PC com uma versão de 32 bits do Vista, pode encomendar um DVD com a versão de 64 bits directamente à Microsoft, aqui. O custo, já com portes de envio, é de apenas € 9,95.
  • O Windows de 64 bits é mais rápido do que o do 32 bits. Errado. Não existe um ganho imediato de velocidade por se usar uma versão do Windows de 64 bits. Pelo contrário, nalgumas circunstânias poderá haver até uma penalização, devido à necessidade de o sistema “traduzir” as aplicações de 32 bits. Contudo, à medida a que surjam no mercado mais aplicações especificamente criadas para funcionar a 64 bits, isto poderá mudar. Mas, a ser assim, qual a vantagem…? É o que veremos a seguir.

Caso não tenhamos problemas de falta de drivers, há duas razões fundamentais para usar a versão de 64 bits do Windows Vista em vez da versão normal, de 32 bits.

A primeira é o aproveitamento da memória RAM. Num sistema de 32 bits, usar mais de 3 GB de RAM é um desperdício de dinheiro (por isso é que muitas marcas de notebooks têm modelos com 3 GB de RAM e não 4 GB), porque o sistema usa apenas pouco mais do que 3 GB do total instalado.

Ora isso já não acontece no Windows Vista x64 (ver imagem), que é capaz de reconhecer e utilizar toda a RAM disponível. De resto, se quiser usar mais do que 4 GB só mesmo com a versão de 64 bits do Windows é que o sistema operativo irá reconhecer tudo o que lá está acima dos 4 GB.

Neste sentido, o Vista x64 (ou o XP x64) podem ser mais rápidos pois mais RAM é quase sempre igual a maior desempenho – embora isso dependa do número e tipo de aplicações usadas.

Além disso, a versão de 64 bits do Windows Vista é mais restritiva nalguns aspectos relacionados com a segurança, o que é também um facto positivo.

Quanto à minha experiência pessoal com o Windows Vista x64, fiquei surpreendido com o facto de haver drivers de 64 bits para todos os meus periféricos – desde a webcam da Creative até ao multifunções da Epson.

Contudo – e é este facto que justifica o título do post – reparei, ao procurar drivers de 64 bits para o Vista, que o mesmo não é verdade para os drivers de 64 bits do XP. Há muitos fabricantes a disponibilizar versões de 64 bits dos seus drivers para Windows Vista mas que têm apenas versões de 32 bits para o XP de 64 bits.

O que significa que a resposta à pergunta “quando é que o Vista é mais compatível do que o XP” é: quando ambos são versões de 64 bits!

Sem comentários: